Connect with us

BLOCKCHAIN

O que é ERC-20 Tokens?

O que é ERC-20 Tokens?

Uma simples explicação porque não queremos complicar! 

As ofertas iniciais de moeda (ICO) tornou-se uma forma extremamente popular de angariar fundos, evitando as restrições regulatórias do financiamento fiduciário. Em 2017, os ICO’s angariaram cerca de $6,5 bilhões US dólares. E a partir de março de 2018, já angariaram $2 bilhões US dólares este ano. A maioria das ICO’s cria a sua Token na plataforma Ethereum e, mais especificamente, criam contratos inteligentes (smart contracts) da Ethereum.

As moedas dos projetos de ICO são geralmente vendidas em ETH (Ethereum) ou BTC (Bitcoin) e concedidas sob a forma de Token (também conhecidas como Token ERC-20). Para os recém-chegados que ainda não tem experiencia a comprar / vender Ethereum, geralmente recomendamos o uso do MyEtherWallet.com (MEW) para guardar e gerir os tokens dos ICO’s.

Para uma boa segurança, o MEW é melhor opção para fazer a ligação com a sua carteira de hardware ou outro tipo de carteira. Então, enquanto estamos acostumados a ver e lidar com tokens ERC-20, poucas pessoas sabem exatamente o que são, como funcionam, ou até mesmo o que significa o ERC-20. (ERC significa “Ethereum Request Comment” e 20 é o número arbitrário atribuído à proposta.)

O ERC-20 Basics Como o nome indica, a moeda do ‘blockchain’ Ethereum é o ether (ETH). Mas os tokens ERC-20 também atuam como moedas no Ethereum. Ethereum é o coração e a mente dos tokens ERC-20.

O Ethereum blockchain processa as transações e a máquina virtual executa os contratos inteligentes (smart contracts) de todas as aplicações lá desenvolvidos e criadas.

A representação da Ethereum.org de um ICO ou crowdsale “sem confiança”(porque os ICO’s tem riscos associados):


1) Os clientes pagam o contrato inteligente.
2) O software envia o dinheiro para o proprietário do contrato.
3) O software retorna os tokens ICO do proprietário para os clientes.

Lembre-se de que esses tokens não são independentes. Eles residem no ‘blockchain’ do Ethereum e dependem das suas habilidades de computação distribuída. Embola os contratos inteligentes sejam muito eficientes, eles apresentam riscos.

Por exemplo, um contrato inteligente não pode ser alterado depois de iniciado pela empresa que crio um ICO. Se um contrato inteligente contiver erros ou vulnerabilidades, o investidor que investiu no projecto poderá facilmente perder o seu investimento. Tais erros ocorreram com frequência ao longo da história da plataforma Ethereum.

O exemplo mais digno de nota foi o hack de DAO (organização autónoma descentralizada) de $55 milhões US dólares, e a correção exigiu um “hard fork” na rede Ethereum (foi como o Ethereum Classis foi criado).

Porque a necessidade do padrão ERC-20?

Antes do aparecimento do padrão ERC-20, havia muitos problemas de compatibilidade entre as várias formas de tokens Ethereum. Cada token tinha o seu único contrato inteligente. Em outras palavras; a plataforma tinha que escrever código completamente novo para cada transacção e carteira, a fim de adicionar um novo token a sua rede. O suporte ao crescente conjunto de tokens estava a tornar-se excessivamente problemático e demorado.

Como solução, a plataforma surgiu com um protocolo padrão para todos os seguintes tokens, que agora é conhecido como ERC-20. O ERC-20 Token Standard possui seis parâmetros obrigatórios para qualquer contrato inteligente, além de três opcionais (mas recomendados!). Opcionalmente, pode definir o número máximo de decimais que um token suporta.

Estes 6 passos permitiram que empresas que desenvolvem carteiras (wallets) e plataformas de investimento criassem uma única base de código, que pode interagir com qualquer contrato inteligente do ERC-20. Aplicações ERC-20 token têm muitas utilidades.

Por exemplo, podem compartilhar projetos, certificados de propriedade de ativos, pontos de fidelidade ou até mesmo outras criptomoedas. Também é possível que os tokens ERC-20 cumpram simultaneamente várias dessas funções. Todos os ERC-20 tokens são criados por contratos inteligentes. Permite, por exemplo, uma empresa que desenvolve carteiras poder ter muitas moedas no seu portefólio, em que antigamente é muito difícil porque cada uma tinha o seu protocolo.

Os contratos inteligentes lidam com as transações dos tokens e contabilizam o saldo de cada detentor de token. Por exemplo, a página CoinCreator da CoinLaunch permite que crie facilmente tokens ERC-20!

Problemas com os Tokens ERC-20. O protocolo ERC-20 sozinho nem sempre é suficiente para os propósitos de um token. É apenas um padrão para criar tokens baseados no Ethereum e não garante tokens úteis, valiosos ou mesmo funcionais.

Um grande número de tokens implementados (que já são muitos, como pode ver no site da coinmarketcap), leva a uma abundância de tokens muito semelhantes, o que torna o processo de seleção mais difícil e confuso para os investidores.

Outro problema é que alguns projetos implementam as diretrizes de maneira idiossincrática, o que cria mais confusão sobre o funcionamento do token. Por exemplo, os tokens às vezes são enviados para os contratos inteligentes de outros ICO’s. Se esse contrato não permitir essa eventualidade, os tokens serão perdidos.

Até o final de 2017, mais de $3 milhões US dólares foram perdidos dessa maneira! A proposta do ERC-223 procura contrariar esta falha.

Conclusão

A criação do ERC-20 Token acelerou o crescimento em todo o espaço das ICO’s ao padronizar funções que facilitam o desenvolvimento de tokens em projetos.

O protocolo também trouxe uma sinergia aprimorada entre os projetos, plataformas de investimentos e empresas que desenvolvem carteira (onde guarda as suas moedas) dos ICO’s.

Como resposta a problemas e vulnerabilidades comuns em tokens ICO, o protocolo ERC-20 provavelmente será aprimorado e ampliado no futuro.

Continue Reading
Click to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Tendências

Translate »